SPIN + - O acelerador das tuas ideias

2017-02-22

CANDIDATURAS ATÉ 10 DE MARÇO

A IEFF – Incubadora de Empresas da Figueira da Foz, Associação para o Desenvolvimento Empresarial é uma das entidades promotoras do Projeto Incubação Centro 2016 - IC | 16, apoiado pelo Programa Operacional Regional do Centro, eixo prioritário Competitividade e internacionalização da economia regional. Dada a sua localização e especificidades é uma incubadora cada vez mais vocacionada para a economia do mar e sector industrial.

No âmbito deste projeto estamos a promover o SPIN+, um programa de aceleração que pretende ajudar os empreendedores a desenvolverem os seus projetos desde a valorização da ideia até à concretização de negócios.
Este programa de aceleração é uma experiência única de desenho e validação de modelos de negócio que valoriza o conhecimento de base tecnológica e a sua orientação para o mercado, estimula a criatividade e a colaboração em Rede, minimiza o risco de apostas em projetos não sustentáveis, levando os empreendedores a testarem os seus Produtos Mínimos Viáveis junto de potenciais clientes, obtendo o feedback necessário para melhorarem a sua Proposta de Valor, e a aplicarem abordagens Lean na criação das suas empresas.

Para estimular o progresso do projeto e a sua aceleração para o mercado, cada equipa será acompanhada não só pelos técnicos das incubadoras da rede, mas também por empresários de referência do mercado, que assumirão o papel de mentores.

Este Programa de Aceleração terá a duração de seis meses e encontra-se estruturado em 14 sessões de trabalho, de 7 horas cada, que irão abranger temas e atividades distintos, ajudando as equipas a desenvolver a sua ideia de negócios, desde a valorização da ideia até à primeira venda.

A QUEM SE DESTINA?

Empresas incubadas que pretendam lançar novos produtos/serviços inovadores com preferência de base tecnológica ou de forte intensidade em conhecimento ou culturais e criativos, através de novas unidades de negócio (spin-off).

Novos empreendedores, com vista à criação de empresas de base tecnológica ou de forte intensidade em conhecimento ou culturais e criativos.

Empreendedores integrados em empresas já existentes, ou profissionais altamente qualificados em situação precária de emprego, com vista à criação de spin-offs de empresas ou académicos, de base tecnológica ou de forte intensidade em conhecimento ou culturais e criativos, com potencial de criação de 10 ou mais postos de trabalho, nos primeiros 2 anos de atividade.

As equipas selecionadas, além de terem a oportunidade de participar ao longo de seis meses em sessões de trabalho que irão abranger temas e atividades distintas que irão ajudar a desenvolver a sua ideia de negócio, terão ainda a possibilidade de financiar total ou parcialmente os seus protótipos e estudos de mercado. Os empreendedores com qualificação mínima de nível 6, entre os 23 e os 40 anos, e que não possuam outra fonte de rendimento, terão durante 6 meses uma bolsa de apoio financeiro. Aos dez melhores projetos será, ainda, atribuído um prémio no valor de 5.000€.

O período de candidaturas decorrerá até às 19h do dia 10 de Março de 2017, posteriormente serão selecionadas as 20 equipas de empreendedores que participarão no programa.

Para submeter a inscrição, todos os elementos (Formulário de Inscrição, Vídeo e Currículos dos promotores) devem ser enviados via e-mail para acelerador.rierc@cec.org.pt. ou geral@ieff.pt.

O SPIN+ é uma iniciativa da Rede RIERC integrada no projeto Incubação Centro 2016 – IC | 16, co- financiado pelo Programa Operacional da Região Centro (CENTRO 2020).

QUERES TRANSFORMAR ESSA IDEIA NUM NEGÓCIO

ATREVE-TE E INSCREVE-TE!!!


Abertura de Candidaturas - Medida Contrato Emprego

2017-02-21

Contrato emprego - O que é?

Apoio financeiro aos empregadores que celebrem contratos de trabalho sem termo ou a termo certo, por prazo igual ou superior a 12 meses, com desempregados inscritos no IEFP, com a obrigação de proporcionarem formação profissional aos trabalhadores contratados.
Tem que haver criação líquida de emprego e a manutenção do nível de emprego alcançado por via do apoio

Podem ainda ser apresentados pedidos de concessão de prémios de conversão (apoiados pela medida estimulo), pela conversão de contrato de trabalho a termo certo em contrato de trabalho sem termo.

Período de Candidaturas

O período para apresentação de candidaturas decorre entre as 09h do dia 25 de Janeiro de 2017 e as 18h00 do dia 10 de Março de 2017, mas as empresas têm de registar as ofertas de emprego em www.netemprego.gov.pt até dia 03 de Março de 2017.

Entidades Candidatas

Empresário em nome individual ou pessoa coletiva, de natureza jurídica privada, com ou sem fins lucrativos

Quem são os destinatários da medida?

Desempregados inscritos no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), numa das seguintes condições:
• Inscrito há seis meses consecutivos
• Inscrito há, pelo menos, dois meses consecutivos, com menos de 29 anos de idade ou mais de 45
• Inscrito há, pelo menos, dois meses consecutivos, sem registos de contribuições na Segurança Social nos 12 meses anteriores
• Beneficiário de prestações de desemprego ou Rendimento Social de Inserção (RSI)
• Pessoa com deficiência ou incapacidade
• Pessoa que integre família monoparental ou cujo cônjuge se encontre também em situação de desemprego (inscrito no IEFP)
• Vítima de violência doméstica
• Refugiado
• Ex-recluso e aquele que cumpra ou tenha cumprido penas não privativas de liberdade em condições de se inserir na vida ativa
• Toxicodependente em recuperação
• Pessoa que tenha concluído há menos de um ano estágio financiado pelo IEFP no âmbito de projetos reconhecidos como de interesse estratégico.

Não são elegíveis na presente medida os contratos de trabalho celebrados com desempregado que tenha frequentado um estágio financiado pelo IEFP na mesma entidade ou entidade pertencente ao mesmo grupo empresarial nos 24 meses anteriores à candidatura.

Candidaturas em www.netemprego.gov.pt

Em caso de dúvida ou se necessitar de mais esclarecimentos, contacte o Gabinete Empresa da ACIFF.

Tel: 233 401 320 | Email:aciff@aciff.pt e geaciff.carla@aciff.pt

LINHA DE CRÉDITO CAPITALIZAR

2017-02-21

€1.600 milhões para Micro e Pequenas Empresas, Fundo de Maneio, tesouraria e Investimento

Foi lançada a 16 de Janeiro de 2017 a Linha de Crédito Capitalizar, no âmbito do Programa Capitalizar, destinada a PME com montantes de financiamento por empresa entre 25 mil e 2 milhões de euros e com prazos entre 3 a 10 anos.

O spread irá oscilar entre 1,8% e os 3,7% mais Euribor a seis meses.

Estas linhas de crédito tem como objetivo apoiar investimentos de longo prazo, criar condições mais vantajosas de financiamento para Micro e Pequenas Empresas, alavancar a oferta de soluções de financiamento para investimentos em projetos com fundos comunitários, ampliar a oferta de operações de Fundo de Maneio e ainda, alargar o acesso a plafonds de crédito a todas as empresas

A Linha de Crédito Capitalizar está disponível nos balcões dos bancos protocolados e encontra-se estruturada da seguinte forma:

Linha “Micro e Pequenas Empresas”:
•Dotação: 400 milhões de euros
•Objetivo: potenciar o acesso a financiamento para investimentos em ativos e reforço de capitais para Micro e Pequenas Empresas.

Linha “Fundo de Maneio”:
•Dotação: 700 milhões de euros
•Objetivo: financiar necessidades de fundo de maneio das empresas com financiamentos de médio prazo, em alternativa ao crédito de curto prazo.

Linha “Plafond de Tesouraria”:
•Dotação: 100 milhões de euros
•Objetivo: alargar a oferta de crédito em sistema de revolving, conferindo uma maior flexibilidade à gestão corrente de tesouraria.

Linha “Investimento Geral”:
•Dotação: 100 milhões de euros.
•Objetivo: financiar investimentos em ativos com elevado prazo de recuperação.

Linha “Investimento Projetos 2020”:
•Dotação: 300 milhões de euros.
•Objetivo: alargar a oferta de crédito bancário para financiamento de projetos aprovados no âmbito do Portugal 2020, com enfoque em despesas elegíveis e outros segmentos de mercado em que a Linha de Crédito e Garantias IFD 2016-2020 possa vir a revelar-se insuficiente.

Para mais informações consulte o Documento de Divulgação em anexo.

Imposto Especial sobre o Consumo

2017-03-08

O Orçamento do Estado para 2017, criou um novo IEC (Imposto Especial sobre o Consumo) que incide sobre bebidas adicionadas de açúcar ou de outros edulcorantes, que produz efeitos a partir de 1 de fevereiro de 2017.

Assim os comercializadores de bebidas não alcoólicas adicionadas de açúcar (comerciantes retalhistas, ou qualquer empresa que esteja licenciada para exercer a atividade de venda ao consumidor final) devem:

- Proceder ao inventário a 1 de Fevereiro de 2017 registando as bebidas e os valores em stock e guardando essa informação, visto não ser necessário qualquer comunicação à Autoridade Tributária;

- Até 31 de Março podem comercializar as bebidas não alcoólicas em stock a consumidores finais sem que o imposto seja exigível;

- Após 31 de Março, as empresas tem até 15 de abril para comunicar à estância aduaneira competente a existência das quantidades em stock não vendidas, preenchendo a DIC e liquidando o respetivo imposto;


No caso dos comercializadores das bebidas não alcoólicas adicionadas de açúcar que não efetuem vendas diretas aos consumidores finais (comerciantes grossistas) devem providenciar pela imediata introdução no consumo das bebidas não alcoólicas adicionadas de açúcar que detenham à data de 1 de Fevereiro de 2017. Nesta conformidade podem:

- Solicitar o estatuto de destinatário registado temporário, processando a respetiva e-DIC;

- Comunicar as quantidades detidas a 01 de Fevereiro a estância aduaneira competente, pedindo a emissão de DIC casuística.

A Direcção-Geral das Alfandegas divulgou o Ofício Circulado n.º 35.071 que anexamos que vem transmitir os devidos esclarecimentos sobre o regime do IEC.
Os artigos que passam a estar sujeitos a IEC são as bebidas que:

a) Sejam adicionadas de açúcar ou outros edulcorantes, tais como refrigerantes, bebidas energéticas e águas aromatizadas (abrangidas pelo código NC2202);

b) Bebidas fermentadas com teor alcoólico compreendido entre 0,5% e 1,2%, tais como a cerveja, sidra e vinho frisante (abrangidas pelos códigos NC2204, NC2205, NC2206 e NC2208);

c) Concentrados de bebidas, sobre a forma de xarope ou pó, que se destinem à preparação de bebidas previstas no ponto a) e b);

d) Produtos adquiridos noutro Estado membro, exceto se for considerada uma aquisição para uso pessoal, quando transportados pelo próprio para o território nacional.

Estão isentas de imposto as bebidas que:

a)Sejam não alcoólicas:
- À base de leite, soja ou arroz;
- Sumos e néctares de frutos e de algas ou de produtos hortícolas;
- Bebidas de cereais, amêndoa, caju e avelã;

b)Bebidas consideradas alimentos para necessidades dietéticas especiais ou suplementos dietéticos;

c) Bebidas cuja mistura final resulte da diluição e adicionamento de outros produtos não alcoólicos aos concentrados descritos na alínea c) dos artigos sujeitos a imposto, desde que seja demonstrada a liquidação do imposto sobre aqueles concentrados;

d) Bebidas não adicionadas de açúcar ou de outros edulcorantes.

e) Bebidas não alcoólicas quando utilizadas:
- Em processos de fabrico ou como matéria prima de outros produtos; e
- Para pesquisa, controle de qualidade e testes de sabor.

Sendo a unidade tributável constituída pelo número de hectolitros de produto acabado, que corresponde ao resultado da diluição e adicionamento de outros produtos para preparação da mistura final, as taxas aplicáveis são as seguintes:

a) as bebidas cujo teor de açúcar seja inferior a 80 gramas por litro: € 8,22 por hectolitro;

b) as bebidas cujo teor de açúcar seja igual ou superior a 80 gramas por litro: € 16,46 por hectolitro;

c) aos concentrados a taxa é aplicável nos termos das alíneas anteriores, à mistura final.

Os serviços da ACIFF estão à disposição para os esclarecimentos necessários.

Formação Língua Inglesa

2017-03-08

A ACIFF tem programada a ação de formação não–financiada de “Língua Inglesa – Organização Administrativa da Venda” (25h).

Esta ação destina-se a empresários, colaboradores e público em geral.

Será em horário pós-laboral, das 20h às 23h e decorrerá nas instalações da ACIFF, na Figueira da Foz.

Esta formação é certificada, sendo válidas para efeito do cumprimento da obrigatoriedade legal em matéria de formação profissional.

Preços e outras informações através do Email:formacao@aciff.pt ou telefone 233401320.


Prazo entrega Relatório Único de 15 março a 16 abril

2017-02-21

A Portaria nº55/2010 de 21 de Janeiro, estipula que todas as entidades empregadoras devem proceder ao envio do Relatório Único à ACT – Autoridade para as Condições de Trabalho, por via eletrónica, durante o período compreendido entre 16 de Março a 15 de Abril do ano seguinte àquele a que respeita.

Este relatório único é composto por:
Anexo A – Quadro de Pessoal
Anexo B – Fluxo de Entrada e Saída de Trabalhadores
Anexo C – Relatório Anual da Formação Contínua
Anexo D – Relatório Anual do Serviço de Segurança e Saúde no Trabalho Anexo E – Greves

Caso pretendam o apoio dos serviços da ACIFF para o preenchimento do Relatório Único, dispomos de uma equipa técnica e multidisciplinar especializada ao ser serviço.

Contacte-nos!!