Arquivo

Formação Ação para empresas

2018-06-07

A ACIFF está a desenvolver dois projetos de Formação-Ação que permitem a intervenção nas empresas a nível de formação e consultoria e destinados a Micro, Pequenas e Médias empresas.

O QIPME 2020 e o Dinamizar permitem uma análise e diagnóstico à empresa, possibilitando a elaboração de um plano de ação que após implementação nas empresas irá permitir melhorar os resultados, bem como o reforço das competências de gestão e dos recursos humanos.

Ao todo, os projetos permitem a intervenção em 55 empresas dos mais diversos setores de atividade que poderão usufruir nos próximos meses da intervenção de consultores e formadores especializados através de um sistema de Incentivos com um financiamento de 90% a fundo perdido.

A ACIFF disponibiliza-se para lhe dar a mais informações sobre estes projetos através do telefone 233401320.


Noticias Relacionadas

Turismo - Instrumentos de Crédito

2016-10-14

Linha de Apoio à Qualificação da Oferta 2016

A Linha de Apoio à Qualificação da Oferta 2016 é um instrumento de crédito que visa proporcionar às empresas do setor do turismo melhores condições no acesso ao financiamento.

A presente linha de crédito destina-se a projetos de investimento com as seguintes finalidades:

- Requalificação de empreendimentos turísticos existentes,
- Criação de empreendimentos turísticos
- Criação e requalificação de empreendimentos, equipamentos ou atividades de animação,
- Criação e requalificação de estabelecimentos de restauração,
- Projetos de empreendedorismo que tenham por objeto empreendimentos, equipamentos ou atividades de animação turística e de restauração de interesse para o turismo e serviços associados ao setor do Turismo.


Este instrumento financeiro encontra-se acessível a empresas turísticas de qualquer dimensão, independentemente da sua natureza ou forma jurídica, desde que cumpram as condições estipuladas.

O montante máximo do financiamento concedido pode chegar aos 75% do valor do investimento elegível, estando definido o valor de 2,5 milhões de euros como limite máximo de investimento do Turismo de Portugal em cada operação, com exceção das candidaturas desenvolvidas em cooperação, agregadoras de várias empresas, em que o limite será de 3,5 milhões de euros.

As empresas podem-se candidatar a projetos de requalificação de empreendimentos turísticos existentes, incluindo a ampliação dos mesmos, ou até a criação de empreendimentos turísticos, desde que se demonstrem diferenciadores em relação à oferta existente e importantes para o posicionamento competitivo do destino, ou resultem da adaptação de património cultural edificado classificado ou de intervenções de reabilitação urbana em áreas de interesse turístico.
São ainda elegíveis a criação e requalificação de empreendimentos, restauração, equipamentos ou atividades de animação, desde que de interesse para o turismo e se diferenciem da oferta existente na região.
Os fundos públicos irão também apoiar o desenvolvimento de novos negócios turísticos, no contexto do apoio empreendedorismo no setor, que apresentem um investimento elegível máximo de 500 mil euros, sejam promovidos por pequenas ou médias empresas a criar ou com, no máximo, 2 anos de atividade completos.

O grupo das instituições de crédito aderentes à Linha reúne o Millennium BCP, Novo Banco, Santander Totta, Banco BPI, Caixa Geral de Depósitos, Banco Popular, Montepio Geral, Barclays Bank, Caixa de Crédito Agrícola Mútuo, Abanca, Banco Português de Gestão e Banco BIC.

Este instrumento financeiro tem uma comparticipação do Turismo de Portugal a 60%, sendo elegível uma componente de fundo de maneio, para apoiar a empresa na gestão da sua tesouraria durante o investimento.

Prazo da Operação: Máximo de 15 anos, incluindo um período máximo de carência de 4 anos
A taxa de juro aplicável à parcela do Turismo de Portugal é nula.

Atualização do montante das rendas

2016-10-14

O coeficiente de atualização anual dos diversos tipos de arrendamento urbano (habitação, comércio, indústria e exercício de profissão liberal) e rural para vigorar em 2017 foi fixado em 1,0054, representando um aumento de 0,54%.

Esta atualização poderá ser aplicada a contratos de arrendamento posteriores a 1990. Recorde-se que em 2016 o aumento máximo foi de 0,16%.

O aumento das rendas tem que ser comunicado aos inquilinos pelos proprietários com uma antecedência mínima de 30 dias face à data de atualização.

Aviso n.º 11562/2016 - 22 de Setembro.

Formação a decorrer na ACIFF

2016-10-14

A ACIFF programou duas ações de formação com o objetivo de preparar os estabelecimentos comerciais para a época natalícia que se avizinha.

Sendo esta uma altura em que se regista um natural aumento no consumo, importa dotar os estabelecimentos comerciais de competências que cativem os clientes, quer em termos de qualidade do atendimento, quer em termos da decoração das montras e dos estabelecimentos.

Neste sentido, estarão a decorrer em simultâneo as ações de formação de Atendimento Comercial e Técnicas de Venda (25h) e Decoração da Loja e Conceção de Montras (25h), entre 10 de Outubro e 16 de Novembro, nas instalações da ACIFF, em horário pós-laboral, com condições preferenciais para associados ACIFF.
Estas formações são certificadas, sendo válidas para efeito do cumprimento da obrigatoriedade legal em matéria de formação profissional e para efeito da Medida Estímulo.

Vale Incubação - Abertura de Candidaturas

2016-10-14

Esta medida pretende conceder apoios a projetos simplificados de empresas com menos de 1 ano na área do empreendedorismo através da contratação de serviços de incubação prestados por incubadoras de empresas previamente acreditadas.

O vale de incubação tem um limite máximo de 5.000 euros por empresa (incentivo não reembolsável de 75%) e permite às empresas que estão a começar instalarem-se nos centros de incubação, acesso a um conjunto de serviços de apoio.

São beneficiários desta medida as PME’s de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica, desde que tenha sido criada à menos de 1 ano.

A apresentação de candidaturas pode ser efetuada até 30 de dezembro de 2016 (19 horas).

Os beneficiários não podem ter projetos aprovados nas prioridades de investimento referentes à área de Inovação produtiva PME.

São suscetíveis de apoio os projetos de aquisição de serviços de incubação na área do empreendedorismo, imprescindíveis ao arranque das empresas, nomeadamente:

- Serviços de Gestão (Apoio na definição/consolidação do modelo de negócios; Acompanhamento na gestão operacional do negócio (incluindo gestão comercial, planeamento financeiro e controlo de gestão) e Tutoria e capacitação na gestão);
- Serviços de Marketing (Apoio na estruturação da estratégia de comunicação/marketing; Apoio na divulgação da atividade, produtos e serviços; Apoio na estruturação/consolidação do processo de internacionalização);
- Serviços de Assessoria Jurídica (Assessoria e apoio jurídico);
- Desenvolvimento de produtos e serviços (Apoio à digitalização de processos de negócios; Apoio à proteção/valorização de direitos de propriedade intelectual);
- Serviços de Financiamento (Apoio a candidaturas a concursos de empreendedorismo e inovação; Apoio no contacto com investidores e entidades financeiras).

Para mais informações contacte os serviços:
IEFF - Incubadora de Empresas da Figueira da Foz
Parque Industrial e Empresarial da Figueira da Foz, Rua das Acácias n.º 40 – A
3090-380 Figueira da Foz
Tel: 233 407 030
Email:geral@ieff.pt