Arquivo

LINHA CAPITALIZAR 2018

2018-07-11

Lançada pelo Ministério da Economia, a 11 de julho de 2018, a Linha de Crédito Capitalizar 2018 tem uma dotação de 1.600 milhões de euros, distribuídos por um conjunto de instrumentos financeiros dirigidos maioritariamente a PME.

Com montantes de financiamento entre 50 mil e 2 milhões de euros por empresa e prazos que variam entre 3 e 10 anos, a Linha de Crédito Capitalizar 2018 está disponível nos balcões dos bancos aderentes e está estruturada em linhas de crédito específicas:


Linha “Micro e Pequenas Empresas”

Dotação: 450 milhões de euros
Objetivo: melhorar as condições e facilitar o acesso ao crédito às Micro e Pequenas Empresas

Linha “Indústria 4.0 – Apoio à Digitalização”

Dotação: 100 milhões de euros
Objetivo: melhorar e facilitar o acesso ao crédito às empresas que desenvolvam, produzam ou invistam em soluções tecnológicas no âmbito da Indústria 4.0 – Apoio à Digitalização

Linha “Fundo de Maneio”

Dotação: 700 milhões de euros
Objetivo: complementar à Linha IFD (que tem restrições ao financiamento de Fundo de Maneio)

Linha “Plafond de Tesouraria”

Dotação: 150 milhões de euros
Objetivo: Induzir a oferta de crédito na modalidade de plafond de crédito em sistema de revolving conferindo maior flexibilidade à gestão de tesouraria

Linha “Investimento Geral”

Dotação: 100 milhões de euros
Objetivo: financiamento de investimentos: Regiões de Lisboa e Algarve; Não PME e CAE's fora da Linha Capitalizar

Linha “Investimento Projetos 2020”

Dotação: 100 milhões de euros
Objetivo: complementar à Linha IFD 2016 para despesas de investimentos em projetos 2020

Consulte toda a informação no documento de divulgação da Linha de Crédito Capitalizar 2018.

Anexos
Linha de Credito Capitalizar 2018

Outras Noticias

CNO ACIFF colabora na qualificação dos colaboradores da Ernesto Morgado, S.A.

2011-05-16

Fundada em 1920, a Ernesto Morgado é a mais antiga indústria de arroz em Portugal, pertencendo à mesma família há 3 gerações.
Desde 2006, a Ernesto Morgado opera uma das mais fábricas de arroz tecnologicamente mais avançadas do mundo. Para além de manter a tradição na moagem do arroz, também produz refeições prontas a comer, procurando equilibrar os valores de uma antiga empresa familiar e profissional com uma visão inovadora.
Tendo em conta a importância de reforçar as competências dos colaboradores, desde logo a empresa aderiu à Iniciativa Novas Oportunidades, colaborando activamente com o Centro Novas Oportunidades da Associação Comercial e Industrial da Figueira da Foz na construção de uma estratégia de crescimento económico e de coesão social do Concelho em que se situa.
No dia 12 de Abril foram certificadas pelo CNO ACIFF, três colaboradoras da empresa, sendo de destacar o envolvimento dos responsáveis da empresa, José Manuel Russo (proprietário) e João Simões (Gabinete de Qualidade & Inovação) que estiveram presentes na sessão de Júri de Certificação.
Num país pobre, desqualificado e em crise saúdam-se os empresários que compreendem a necessidade do investimento na educação e formação profissional como factor-chave para a competitividade e sucesso da economia portuguesa!

Maria Olímpia Paixão
Coordenadora CNO ACIFF


“inovação e desenvolvimento de novos produtos que tragam maior valor acrescentado aos consumidores”

ACIFF promove Formação para Empresários

2011-05-05

A ACIFF, promovendo um dos objectivos específicos dos seus Estatutos: “prestar serviços aos seus Associados” candidatou-se a um programa de Formação-Acção destinado a reforçar a qualificação dos empresários, tendo a sua candidatura sido aprovada.

Este programa inclui Consultadoria e Formação Especializada e decorrerá de Outubro 2010 a Junho de 2011.

Destinatários: Empresários de PME’s (até 100 trabalhadores) com funções de gerência ou administração efectiva.

Duração: 125 horas
Objectivos: desenvolver as competências dos empresários em 3 módulos estratégicos de intervenção organizacional.
- Liderança e Organização do Trabalho
- Estratégia
- Instrumentos de Apoio à Gestão

Esta será uma forma dos empresários desenvolverem as suas competências e aumentarem assim a competitividade das empresas que gerem.

Para mais esclarecimentos poderão contactar as Técnicas da ACIFF - Cristiana Mano e Sandra Rodrigues
Tel: 233.401.320 / Fax: 233.420.555 / E-mail: formacao@aciff.pt / aciff.eventos@aciff.pt

Acreditamos que não irá perder esta oportunidade!

Anexo: Informação detalhada do programa e ficha de adesão

Novas Oportunidades

2011-03-31

Com o objectivo de combater o desemprego e propiciar uma mais rápida integração dos desempregados é imprescindível reforçar as medidas que facilitem a inversão do padrão de baixas qualificações da população activa portuguesa, nomeadamente através do recurso às diferentes modalidades de qualificação para adultos.
Dada a dificuldade de facultar aos desempregados inscritos nos Centros de Emprego (que não completaram o 12.º ano de escolaridade) o acesso a percursos de qualificação institui-se uma parceria entre este organismo e a ANQ com o objectivo de aumentar a capacidade de resposta a este público, mediante o seu encaminhamento para a Rede Nacional de Centros Novas Oportunidades, com base em critérios de proximidade geográfica.
Respondendo ao desafio e no âmbito do Projecto de Intervenção nos Bairros Sociais, realizou-se no dia 21/03/2011 no Empreendimento Fonte Nova – Brenha, Figueira Domus a primeira sessão do Projecto Novas Oportunidades intitulada “Prepare-se para os Desafios da Sociedade Actual”.
Nesta sessão estiveram presentes 18 arrendatários da FigueiraDomus, parte dos quais utentes da Associação Goltz de Carvalho (associação com a qual o CNO da ACIFF tem vindo a colaborar) e 2 munícipes de Brenha, que se encontram desempregados e são beneficiários de RSI ou Subsídio de Desemprego.
Esta acção vem reforçar a importância das parcerias e do trabalho em rede dos vários actores sociais como forma de atingir os objectivos propostos.

Desempregados e Novas Oportunidades

2011-02-11

Os desempregados que recebam subsídio e não tenham completado o 12.º ano de escolaridade serão obrigados a aderir ao programa Novas Oportunidades.
A medida está prevista na versão preliminar de relatório de Orçamento de Estado para 2011 e enquadra-se no "reforço das qualificações da população desempregada", diz o documento, segundo o qual 183 mil pessoas serão enviadas para o programa por intermédio dos Centros de Emprego.
O Centro Novas Oportunidades da ACIFF considera positivo este esforço de qualificação da população português como forma de aumentar a empregabilidade no momento de crise que o País atravessa.
A educação de adultos é factor de mobilidade e empregabilidade. Portugal apresenta níveis deficitários de qualificação na sua população quando comparado com os outros países europeus. Corremos assim elevados riscos de desajustamento entre a oferta e a procura.
Sendo objectivo da UE a redução da baixa qualificação a 10% da população até 2025, iniciativas como as Novas Oportunidades e ofertas formativas de dupla certificação mostram-se ferramentas fundamentais na consecução dos objectivos referidos
As conclusões do relatório da OCDE (Economic Review) apresentadas há cerca de três semanas dão relevo à iniciativa Novas oportunidades, considerando-a um “projecto prometedor”.
Compete a todos alterar esta situação e reforçar o investimento na educação e formação profissional como factor-chave para a competitividade e sucesso da economia portuguesa!