Arquivo

Candidatura ACIFF – Formação-Ação – “Melhor Turismo 2020”

2020-02-13

A ACIFF teve aprovada a sua candidatura ao programa formação-ação – “Melhor Turismo 2020”, no âmbito do Portugal 2020, com o objetivo de apoiar os seus associados no desenvolvimento de formação e consultoria.

Os ciclos e áreas temáticas a desenvolver serão:

1.Ciclo de Gestão de Micro empresas
a.Capitalizar: otimização de recursos financeiros;
b.Economia digital;

2.Ciclo de Planeamento
a.Gestão de empresas turísticas;

As empresas participantes beneficiarão de um incentivo a fundo perdido de 90% e deverão estar localizadas nas regiões NUT Centro.

Garanta a sua participação no programa através de uma pré-adesão.

Mais informação contacte:
ACIFF – Associação Comercial e Industrial da Figueira da Foz
Cristiana Mano
Telefone: 233.401.320

Para mais informações clique AQUI

Noticias Relacionadas

Turismo - Instrumentos de Crédito

2016-10-14

Linha de Apoio à Qualificação da Oferta 2016

A Linha de Apoio à Qualificação da Oferta 2016 é um instrumento de crédito que visa proporcionar às empresas do setor do turismo melhores condições no acesso ao financiamento.

A presente linha de crédito destina-se a projetos de investimento com as seguintes finalidades:

- Requalificação de empreendimentos turísticos existentes,
- Criação de empreendimentos turísticos
- Criação e requalificação de empreendimentos, equipamentos ou atividades de animação,
- Criação e requalificação de estabelecimentos de restauração,
- Projetos de empreendedorismo que tenham por objeto empreendimentos, equipamentos ou atividades de animação turística e de restauração de interesse para o turismo e serviços associados ao setor do Turismo.


Este instrumento financeiro encontra-se acessível a empresas turísticas de qualquer dimensão, independentemente da sua natureza ou forma jurídica, desde que cumpram as condições estipuladas.

O montante máximo do financiamento concedido pode chegar aos 75% do valor do investimento elegível, estando definido o valor de 2,5 milhões de euros como limite máximo de investimento do Turismo de Portugal em cada operação, com exceção das candidaturas desenvolvidas em cooperação, agregadoras de várias empresas, em que o limite será de 3,5 milhões de euros.

As empresas podem-se candidatar a projetos de requalificação de empreendimentos turísticos existentes, incluindo a ampliação dos mesmos, ou até a criação de empreendimentos turísticos, desde que se demonstrem diferenciadores em relação à oferta existente e importantes para o posicionamento competitivo do destino, ou resultem da adaptação de património cultural edificado classificado ou de intervenções de reabilitação urbana em áreas de interesse turístico.
São ainda elegíveis a criação e requalificação de empreendimentos, restauração, equipamentos ou atividades de animação, desde que de interesse para o turismo e se diferenciem da oferta existente na região.
Os fundos públicos irão também apoiar o desenvolvimento de novos negócios turísticos, no contexto do apoio empreendedorismo no setor, que apresentem um investimento elegível máximo de 500 mil euros, sejam promovidos por pequenas ou médias empresas a criar ou com, no máximo, 2 anos de atividade completos.

O grupo das instituições de crédito aderentes à Linha reúne o Millennium BCP, Novo Banco, Santander Totta, Banco BPI, Caixa Geral de Depósitos, Banco Popular, Montepio Geral, Barclays Bank, Caixa de Crédito Agrícola Mútuo, Abanca, Banco Português de Gestão e Banco BIC.

Este instrumento financeiro tem uma comparticipação do Turismo de Portugal a 60%, sendo elegível uma componente de fundo de maneio, para apoiar a empresa na gestão da sua tesouraria durante o investimento.

Prazo da Operação: Máximo de 15 anos, incluindo um período máximo de carência de 4 anos
A taxa de juro aplicável à parcela do Turismo de Portugal é nula.

Boas-Práticas para candidaturas a incentivos

2016-09-07

O IAPMEI, Agência para a Competitividade e Inovação, lançou um mini-manual de boas práticas para as candidaturas a incentivos.

O manual é lançado no âmbito dos Sistemas de Incentivos e foca-se nas boas práticas para a apresentação de candidaturas nas áreas da Inovação e Empreendedorismo Qualificado e Criativo.

Nesta pequena publicação do IAPMEI, os interessados poderão perceber o que não pode faltar numa proposta e como desenvolver o plano estratégico.

As boas práticas pretendem funcionar como um apoio no momento de apresentação das candidaturas e procuram alertar os empresários para um conjunto de informações que não podem faltar de modo a potenciar a qualidade do projeto.